quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

"A Sutileza Do Inhame"



Febris formas soturnas
que dissecam o orvalho
a gotejar-se sobre meus versos.

Satisfaço-me com tal plenitude
e de maneira pernóstica,
regalando mil idiossincrasias
e outras neuras matutinas
nos meus versos mais infames
e inflamados por geadas.

Aquece-me a alma a coerência
que alimenta, feito inhame,
um poeta somali em su'alma
a discorrer formas incertas
para depois plantar batatas...



(Do compêndio "Goiabada Démodé" - poemas inéditos.)

Nenhum comentário: